> Resultados do 1º Trimestre de 2018

13/04/2018

O Grupo Média Capital apresenta os resultados do 1º trimestre de 2018, nos quais reforça a sua liderança nos média em Portugal em termos de quota e rentabilidade.

Os resultados antes de impostos registaram uma melhoria de 31% face ao período homólogo, efeito da melhoria nos rendimentos de publicidade, no EBITDA e nos resultados financeiros.

Os rendimentos de publicidade subiram 4%, registando o melhor desempenho desde o primeiro trimestre de 2016.

Por seu turno, o EBITDA alcançou os € 5,2 milhões, 4% acima do conseguido nos primeiros três meses de 2017.

Os resultados financeiros melhoraram 10%, em resultado do menor volume médio de dívida líquida e da redução do respetivo custo.

Por segmentos, a Televisão registou um EBITDA de € 3,4 milhões. A TVI registou em março 140 meses consecutivos de liderança de audiências em televisão, registando uma média de quota de 21,1% e de 24,4%, no total do dia e no horário nobre, respetivamente. A diferença face ao segundo canal mais visto foi de 3,9pp no primeiro caso e de 3,3pp no último. A liderança da TVI em audiências mantém-se por grupos de canais (que inclui os canais TVI, TVI24, TVI Ficção e TVI Reality), com 23,9% no total do dia e 26,6% em horário nobre, mais 3,3pp e 2,5pp do que o segundo grupo de canais com maior audiência, não obstante a TVI dispor de um menor número de canais.

O segmento de Rádio voltou a melhorar o EBITDA, desta feita em 40%, tendo ascendido a € 1,1 milhões, com uma margem 27,7%. É de destacar o reforço das audiências, com uma quota líder de 37,3% - 1,4pp acima do principal grupo concorrente e 3,2pp melhor que o obtido na vaga homóloga -, suportado pela liderança da Rádio Comercial (24,9%, com um crescimento claro face aos 22,7% do período homólogo) e pela continuada subida da m80, que reforça a posição de terceira estação mais ouvida em Portugal.

Na área Digital, o trimestre ficou pautado por uma forte melhoria dos seus resultados a nível de audiências e receitas. Na comparação com o período homólogo, o conjunto de websites e apps subiu 18% em sessões e 26% no que ao vídeo diz respeito, contribuindo decisivamente para os 9% de crescimento da publicidade.

É de assinalar ainda o desempenho ao nível da geração de caixa, com uma melhoria do cash flow operacional de € 2,3 milhões para € 6,0 milhões, bem como da dívida líquida, que reduziu € 5,2 milhões e € 9,7 milhões face ao observado, respetivamente, no final de dezembro de 2017 e no primeiro trimestre de 2017. Desta forma, a dívida líquida atingiu, no final de março de 2018, € 90,1 milhões, que corresponde ao nível mais baixo do primeiro trimestre desde 2007.

 

Queluz de Baixo, 12 de Abril de 2018